PREFEITO JURACY ANUNCIA INCENTIVO À PRODUÇÃO DE PALMA FORRAGEIRA EM NOVA PORTEIRINHA

Foto Leonardo Leles/Epamig

Valmisoney Moreira Jardim presidente da Anater o presidente da Epamig Rui Verneque prefeito Juracy Fagundes de Nova Porteirinha e o gerente regional da Emater em Janaba

Valmisoney Moreira Jardim, presidente da Anater (Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural); o presidente da Epamig, Rui Verneque; prefeito Juracy Fagundes, de Nova Porteirinha; e o gerente regional da Emater-MG em Janaúba, Alberto Magno Fonseca Cardoso.

NOVA PORTEIRINHA (por Oliveira Júnior*) – O prefeito de Nova Porteirinha, o produtor rural Juracy Fagundes Jácome, anunciou nesta quarta-feira, dia 20 de setembro, que a prefeitura incentivará o cultivo da palma forrageira como maneira do agricultor, principalmente o pequeno produtor, a conviver com a seca. “É comprovado que a palma se dá bem em nossa região e, diante disso, iremos disponibilizar uma área para, inicialmente, Server o viveiro dessa planta e posteriormente auxiliar na distribuição e plantio da palma”, explicou o prefeito.

O prefeito Juracy Fagundes participou nesta quarta-feira, dia 20, de reunião realizada pela Epamig (Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais) Unidade Norte na cidade de Nova Porteirinha ocasião em que foram apresentadas tecnologias de implantação, manejo e utilização da palma forrageira. Juracy destacou que a palma é resistente à estiagem e se torna como recurso salvador para alimentar o gado perante a falta de pasto.

Foram lançados nesta quarta-feira, 20, em Nova Porteirinha, a Rede Palma e a revista Informe Agropecuário “Cultivo e utilização da palma forrageira”. As ações integram o programa Palmas para Minas, que visa construir o conhecimento desta cultura em áreas de vulnerabilidade climática de Minas Gerais. Em um cenário de seca, como pode ser observada no semiárido brasileiro, a palma é uma alternativa para complementar a alimentação do gado, além de ajudar na hidratação, já que é composta por cerca de 90% de água.

De acordo com o presidente da Epamig, Rui da Silva Verneque, a pesquisa busca, junto com demais parceiros, contribuir para o desenvolvimento sustentável da pecuária na região. “A palma é uma planta que se adapta a longos períodos de estiagem e exige poucos recursos hídricos para o plantio. Acreditamos que essas parcerias possam ampliar as ações e trazer mais qualidade para o rebanho e à vida do produtor rural”, afirma. (*com informações da Ascom da Epamig)